POIQUILODERMIA DE CIVATTE

POIQUILODERMIA DE CIVATTE

A poiquilodermia de Civatte é uma alteração cutânea crônica e benigna, comum em pessoas acima dos 40 anos de idade que sofreram muita exposição solar ao longo de anos.

Clínica

Algumas de suas características essenciais são: atrofia da pele, presença de telangiectasias (vasinhos superficiais) e uma hiperpigmentação cutânea que se apresenta de forma macular ou reticulada. Locais de apresentação: abrange simetricamente áreas cervicais (do pescoço) que são mais expostas ao sol, as laterais inferiores da face e a porção ântero-superior do tórax (do colo), poupando a região mentoniana. A região mentoniana (da papada) fica protegida do sol, o que corrobora com o seu principal fator de risco - a exposição solar prolongada e desprotegida.  

Tratamento

A Luz Intensa Pulsasa (LIP) é o tratamento de escolha por possuir afinidade pelos vasos e pela melanina (dérmica e epidérmica). Devido ao seu amplo espectro de comprimento de onda, atualmente esse dispositivo é considerado por muitos autores o tratamento de primeira linha da poiquilodermia de Civatte. A LIP causa uma melhora significativa na qualidade da pele (textura, brilho e volume) e também melhora a hiperpigmentação.

(+) Vantagens da Luz Intensa Pulsada

A luz intensa pulsada melhora a atrofia da pele e, ao estimular a produção de colágeno, acaba favorecendo o rejuvenescimento do colo.

Outras terapêuticas

Incluem os skinboosters com ácido hialurônico, o microagulhamento e a mesoterapia.

Prevenção

O uso de fotoproteção solar é primordial para estabilizar o quadro clínico já instalado, bem como para prevenir a sua ocorrência.

 

 

Referências Bibliográficas:
Belda Júnior W; Di Chiacchio N; Criado P. R. Tratado de Dermatologia. 3ª. edição. São Paulo: Ed. Atheneu; 2014.
Maio, Maurício de; Almeida, A. R. Tratado de medicina estética. 2ª. edição. São Paulo: Ed. Roca; 2017.
https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas